Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

João Bernardo

/home/bernardolx

/home/bernardolx

ProtonVPN instala servidores VPN em Portugal

ProtonVPN Portugal.jpg

 

Os utilizadores do ProtonVPN, um serviço de Virtual Private Network lançado pela mesma equipa do ProtonMail têm a partir de hoje disponíveis servidores em Portugal, elevando assim para 30 os países espalhados pelo Mundo onde é possível aceder de uma forma segura e privada à Internet, especialmente útil em redes WiFi abertas/públicas.

 

Tendo o serviço tido um crescimento significativo nos últimos tempos e no seguimento de um inquérito feito aos utilizadores em que países gostariam de ter servidores, Portugal ficou em 14º lugar, assim a partir de agora estão disponíveis 4 servidores em terras lusas, mais propriamente em Lisboa: PT#1 para os utilizadores com planos Basic e os PT#2-4 para os planos Plus e Visionary.

 

Está disponível para várias plataformas incluindo Android, iOS, Linux, macOS e Windows, sendo a configuração muito fácil e permitindo assim a qualquer pessoa um nível de segurança muito maior em várias situações. Para quem ainda não conhece o ProtonVPN está ainda a decorrer a promoção da Cyber Monday com 33% de desconto onde é possível aderir ao plano Basic por €79 durante 2 anos e ao plano Plus por €159 também por 2 anos.

 

Portugal is the 30th country to join the ProtonVPN network! ]

 

Equipa do ProtonMail lança o ProtonVPN

ProtonVPN Banner.jpg

 

A equipa responsável pelo serviço de e-mail focado na segurança ProtonMail e composta por engenheiros, cientistas e programadores do CERN, instituição onde nasceu a World Wide Web (WWW) em 1989, lança agora um novo serviço com o mesmo foco na segurança e privacidade dos utilizadores com o novo ProtonVPN.

 

Tal como o nome sugere esta nova aposta baseia-se num serviço de VPN (Virtual Private Network) para garantir uma maior segurança e anonimato no acesso à Internet, assim e depois de mais de um ano de desenvolvimento e testes o serviço está disponível a qualquer utilizador, estando disponível em quatro pacotes: Free, Basic, Plus e Visionary, este último inlcui o serviço ProtonMail Visionary também.

 

O ProtonVPN Free é gratuito para os utilizadores, permite ligação a servidores em 3 países e apenas 1 equipamento terminal, o Basic já permite ligações a todos os paíse onde têm servidores, neste momento 14 (Alemanha, Espanha, França, Holanda, Islândia, Reino Unido, Suécia e Suiça na Europa e ainda na Austália, Canadá, E.U.A., Hong Kong, Japão e Singapura) e até 2 equipamentos por uma anuidade de €48.

 

A versão Plus já permite até 5 equipamentos e acesso ao Secure Core, que adiciona mais uma camada de segurança ao fazer passar todo o tráfego dos utilizadores por países que asseguram a privacidade, nomeadamente a Suíça, a Islândia e a Suécia, permite também a ligação a servidores Tor por um custo anual de €96, por fim a versão Visionary permite 10 equipamentos e já inclui o serviço ProtonMail também na versão Visionary por €288 anuais.

 

O ProtonMail tem disponíveis três planos: o Free, gratuito com 500MB de espaço e 1 endereço disponível, o Plus com 5GB e até 5 endereços por €5/mês ou €48 anuais (-20%) e o Visionay com 20GB, 50 endereços e até 10 domínios por €30/mês ou €288/ano (-20% também).

 

Ambos os serviços ProtonMail e ProtonVPN garantem um incremento significativo na segurança, essencial nos dias de hoje e não têm qualquer publicidade sendo todos os custos de operação e manutenção assegurados pelos utilizadores, tendo ambos opções gratuitas nada como começar por aí e evoluir para os planos pagos se o serviço corresponder às expectativas.

 

Three years ago we launched ProtonMail. Today, we’re launching ProtonVPN ]

Google anuncia Project Fi e alarga as suas operações como MVNO

Project Fi.png

 

Corriam rumores que a Google estaria a preparar a sua entrada no mercado de telecomunicações móveis e hoje confirma-se essa mesma intenção com o lançamento do Project Fi, uma rede móvel virtual para já apenas disponível por convite nos E.U.A. e em conjunto com o Nexus 6.

 

Com este novo projecto a Google pretende oferecer um serviço que dará mais liberdade ao utilizador e tirando partido de redes já existentes sendo a sua utilização mais simples e transição transparente para os seus clientes, as comunicações serão feitas utilizando as redes móveis da Sprint e da T-Mobile e combinando também com redes Wi-Fi ao alcance do utilizador sendo que neste caso é utilizada uma ligação segura (VPN) para garantir a privacidade dos dados em trânsito.

 

O plano de comunicações tem o custo base mensal de $20 que inclui chamadas e mensagens ilimitadas para os E.U.A. e mensagens internacionais ilimitadas, em termos de Internet 1GB tem o custo de $10, assim por exemplo o pacote com 2GB de Internet terá uma mensalidade de $40 (+ taxas).

 

Uma opção interessante é que os utilizadores são ressarcidos pelo volume de dados não utilizado no mês, isto é, por exemplo no pacote com 1GB se o cliente apenas utilizar 0,4 GB e deixar 0,6 GB por utilizar recebe $6 (referentes aos 0,6 GB).

 

Além do próprio Nexus 6 é possível também aceder através de outros dispositivos com a aplicação Hangouts como equipamentos iOS, ou computadores com Windows ou Mac e claro os próprios Chromebooks.

 

[ Project Fi ]

Ligação à Internet via SSH em Android

A segurança é um ponto crítico em qualquer sistema e nunca deve ser descurada, assim e regresando aos tutorias aqui no blog o tema é a segurança no acesso à Internet a partir do Android em redes Wi-Fi.Com a actual proliferação de smartphones e tablets o acesso à Internet torna-se fundamental para tirar total partido destes equipamentos, além das redes móveis (com tarifários "curtos" em tráfego web) a alternativa são as redes Wi-Fi que se encontram um pouco por todo o lado como em cafés/restaurantes, universidades ou centros comerciais.O problema destas redes Wi-Fi está em desconhecermos como são geridas e que outros utilizadores a ela têm acesso, daí que utilizá-las sem a mínima segurança pode representar um risco para o utilizador.No Android algumas aplicações como o Gmail por exemplo, usam SSL nas ligações o que garante segurança na comunicação, mas nem todas as apps seguem esse exemplo e como tal este tutorial irá abordar a configuração de um servidor SSH e a sua utilização através de um equipamento Android.Como uma imagem (neste caso um esquema) vale mais do que 1000 palavras o objectivo  é ter algo deste tipo:

Android «--- SSH ---» SSH Server/Proxy «--- Clear Text ---» Internet

Para começar, a configuração do servidor SSH/Proxy que será o elo de ligação entre o Android e a Internet, em Ubuntu é necessário instalar estes pacotes: openssh-server e openssh-client, em Fedora à partida já vêm instalados e prontos a usar.

Por omissão o servidor SSH estará em funcionamento no porto 22, convém dar alguma atenção aos privilégios da conta do utilizador e às configurações do servidor SSH, uma leitura aconselhada aqui.

Como requisitos, o servidor terá de estar ligado à Internet ou a uma rede privada conforme o objectivo e devidamente acessível a partir do exterior podendo ser necessário configurar o router e/ou a firewall da máquina, se o IP for dinâmico convém ter um serviço  de nomes (Dynamic DNS) para aceder, exemplos o Dyn ou o No-IP.

Do lado do servidor o trabalho está feito, no Android é necessário acesso ao root e a aplicação gratuita SSH Tunnel muito fácil de configurar e utilizar.

Available in Android Market

Com esta aplicação é possível criar uma ligação segura e cifrada entre o Android e o servidor SSH configurado anteriormente, garantindo assim que todos os dados (ou apenas algumas aplicações) se liguem à Internet de forma segura, isto é, um "túnel privado" entre os equipamentos que garante segurança mesmo em redes desconhecidas.

No SSH Tunnel basta configurar o host (IP ou domínio) e o porto onde o servidor SSH está à escuta, as credenciais (user/password) e o port forwarding utilizando SOCKS Proxy ou escolhendo outro proxy, tem disponível um widget 1x1 para maior facilidade.

E se tudo estiver nos eixos está pronto a funcionar, dando assim garantias que mesmo em redes inseguras a ligação à Internet é segura e privada longe de olhares indiscretos, qualquer dúvida, opinião ou sugestão é bem vinda... :)

P.S. Um extra à segurança passa também por utilizar servidores de DNS fidedignos, aconselho os do Google ou OpenDNS, a opção VPN é uma alternativa.

IPREDator aberto ao público

Depois de algum tempo em testes o IPREDator abriu ao público em geral, este serviço criado pelos autores do portal The Pirate Bay permite aos utilizadores maior privacidade na ligação à Internet através de uma VPN.Tem um custo mensal de €5 e permite aceder à Internet de forma anónima e mais segura já que todos os dados circulam por um canal seguro (cifrado), segundo os autores nenhuma informação do utilizador fica registada nos servidores garantindo assim anonimato total.O serviço foi criado em resposta à legislação IPRED que proíbe a partilha ilegal de dados com direitos de autor e está direccionado principalmente para utilizadores de partilha de ficheiros (P2P) mas não só pois permite esconder o verdadeiro endereço IP do utilizador.O serviço faz sentido à medida em que cada vez mais os utilizadores estão limitados à liberdade e privacidade mas pode ter um lado menos bom ao ocultar utilizadores mal intencionados que aproveitem o anonimato para prejudicar outros.Fonte: TorrentFreak

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

PGP

Key ID: 0xFB439BA2926B599E
Fingerprint: 8150 FBCE 8905 8016 F669 AA2C FB43 9BA2 926B 599E

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D