Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

João Bernardo

/home/bernardolx

/home/bernardolx

AMD anuncia os CPU de segunda geração Ryzen

AMD Ryzen 7 and 5 - 2nd generation.png

A AMD (Advanced Micro Devices) acaba de anunciar a segunda geração de processadores Ryzen que virão com argumentos reforçados para continuar o sucesso desta gama lançada o ano passado nas versões Ryzen 3, 5, 7 e Threadripper, para já foram anunciados quatro novos processadores, dois Ryzen 7 octa-core (16 ​threads): o 2700 e o 2700X e dois Ryzen 5 hexa-core (12 threads): o 2600 e o 2600X.

 

A comercialização dos novos Ryzen fica agendada para 19 de Abril sendo possível já fazer a pré-compra para os mais entusiastas, foram também já reveladas algumas das novidades sendo que outras características serão apenas reveladas no início das vendas, do que já foi anunciado os novos processadores virão com um incremento na performance com a arquitectura Zen+ e os primeiros feitos com um processo de fabrico dos semicondutores de 12nm, todos os CPU desta segunda geração virão também com o Wraith Cooler (alguns com iluminação LED) e um novo chipset AMD X470.

 

No que às características diz respeito e começando pelo topo, o Ryzen 7 2700X terá uma velocidade de relógio de 3,7 GHz (boost até 4,3 GHz), 16 MB de memória cache L3 e um TDP de 105 Watt, o cooler será o Wraith Prism (LED) e o preço para os E.U.A. anunciado de $329, a versão 2700 contará com velocidades de 3,2 GHz (boost até 4,1 GHz) a mesma memória cache mas com um TDP de 65 Watt, o cooler será o Wraith Spire (LED), preço anunciado de $299.

 

Nos novos Ryzen 5, o 2600X terá uma velocidade de relógio de 3,6 GHz (boost até 4,2 GHz), cache L3 de 16 MB, TDP de 95 Watt, cooler Wraith Spire e preço anunciado de $229, a versão 2600 terá uma velocidade de ​3,4 GHz (boost até 3,9 GHz), a mesma memória cache, TDP de ​65 Watt, coolerWraith Stealth e preço de $199.

 

Esta segunda geração de processadores Ryzen será suportada pelo mais recente chipset AMD X470 mantendo o socket AM4, ficando também disponíveis motherboards de vários fabricantes com suporte para este novo chipset da AMD, as versões anteriores da série 300 também suportarão estes novos CPU com upgrade do firmware da BIOS.

 

2nd Generation AMD Ryzen™ Processors ]

 

Cloudflare apresenta DNS 1.1.1.1

1.1.1.1.gif

 

O DNS (Domain Name System) é um dos sistemas fundamentais de uma rede informática e da Internet pois permite converter os domínos facilmente conhecidos pelos utilizadores (por exemplo wikipedia.org) em endereços IP (neste exemplo IPv4 91.198.174.192 e IPv6 2620:0:862:ed1a::1) onde a informação se encontra alojada, tornando assim a navegação mais natural e simples uma vez que os endereços podem mudar mas o domínio manter-se-á o mesmo.

 

Normalmente e se o utilizador não fizer nenhuma alteração este serviço é fornecido pelo ISP (Internet Service Provider) que fornece a ligação à Internet, mas nem sempre lhe dá a devida atenção nomeadamente no que à segurança e privacidade dizem respeito, sendo o DNS um ponto crítico na rede é aconselhável utilizar um que seja de confiança e tenha boa performance existindo várias alternativas disponíveis.

 

Assim a Cloudflare em parceria com a APNIC lançaram um serviço de DNS com o IPv4 1.1.1.1, fácil de memorizar e com garantia de segurança e privacidade auditadas pela KPMG, características fundamentais na Internet actual, a Cloudflare gere uma das maiores redes de comunicações mundiais com data centers por todo o Mundo incluindo Lisboa e a APNIC é a entidade responsável pelo endereçamento IP na região da Ásia e Pacífico que detém e endereço 1.1.1.1.

 

Com este novo serviço de DNS os utilizadores têm mais uma alternativa segura e fiável aos pedidos que fazem quando navegam na Internet, enviam um e-mail ou utilizam qualquer aplicação num smartphone ou tablet, uma vez que suporta o DNS over HTTPS (DoH), enviando e recebendo os dados por um canal seguro tal como acontece quando o utilizador acede a uma página web via HTTPS, garantindo segurança e privacidade.

 

A configuração é relativamente simples e pode ser feita nos mais variados equipamentos, com sistema operativo Android, iOS, Linux, MacOS e Windows, idealmente e se possível pode ser configurado no router e assim todos os equipamentos lá ligados por cabo ou Wi-Fi podem tirar partido de um DNS mais rápido e seguro, os endereços:

 

  • IPv4: 1.1.1.1 e 1.0.0.1
  • IPv6: 2606:4700:4700::1111 e 2606:4700:4700::1001

 

É um serviço que aconselho e para utilizadores em Portugal tendo a Cloudflare um ponto de presença em Lisboa e interligação no GigaPIX com vários operadores é uma óptima solução garantindo rapidez e segurança nos pedidos de DNS, qualquer dúvida basta utilizar os comentários... :-)

 

1.1.1.1 - the Internet's Fastest, Privacy-First DNS Resolver ]

 

Huawei apresenta P20 e P20 Pro

Huawei P20 Pro Dimensions.jpg Huawei P20 Dimensions.jpg

 

A gigante tecnológica chinesa Huawei apresentou hoje num evento em Paris os seus novos smartphones topo de gama que saltam da gama P10 apresentada há 1 ano no MWC em Barcelona para a gama P20, que contará igualmente com três versões: o P20 Lite, o P20 e o P20 Pro.

 

Uma das principais apostas nesta nova gama são as câmaras que na versão P20 e P20 Pro foram criadas em parceria com a Leica e que elevam estes dois novos smartphones para o topo da tabela do DxOMark em terminais móveis, com respectivamente 102 e 109 pontos, seguidos pelo Samsung Galaxy S9 Plus (99), Google Pixel 2 (98) e iPhone X (97).

 

Começando pela versão melhor equipada nesta nova gama P20, o P20 Pro, que traz argumentos de peso a começar pelas 3 câmaras traseiras, uma de 40MP RGB, uma de 20MP monocromática e uma de 8MP para um zoom híbrido até 5x, a câmara frontal é de 24MP e está localizada num "notch" central no topo do ecrã, o monitor é OLED com uma diagonal de 6,1" (~15,5 cm) e resolução 1080 x 2240 pixels.

 

Equipado com o SoC Kirin 970, 6GB de memória RAM e 128GB de memória de armazenamento, não faltarão recursos para as mais exigentes tarefas, a bateria é de 4 Ah e no software o P20 Pro conta com o Android 8.1 e EMUI 8.1, estará disponível em quatro cores: Twilight, Pink Gold, Midnight Blue e Black e preço de €900.

 

A versão intermédia, o P20 conta também com fortes argumentos, terá apenas duas câmaras, uma de 20MP monocromática e outra de 12MP RGB, sendo a frontal também de 24MP, o ecrã é ligeiramente mais pequeno com 5,8" (~14,7 cm) mas com a mesma resolução da versão Pro, terá 4GB de memória RAM e a mesma memória interna, a bateria tem uma capacidade de 3,4 Ah, além das cores disponíveis na versão Pro terá ainda o Champagne Gold, o preço fica nos €700.

 

Por fim a versão mais simples, o P20 Lite, com uma dupla câmara traseira de 16MP e 2MP, com a frontal também de 16MP, ecrã de 5,8" (~14,7 cm) e resolução 1080 x 2280 pixels, um SoC Kirin 659 com 4GB de memória RAM e 64GB de memória interna, a bateria conta com uma capacidade de 3 Ah e o preço fica nos €380.

 

Huawei P20 Lite.png

 

Huawei P20 ProHuawei P20Huawei P20 Lite ]

 

Segurança, Privacidade, ... Facebook?

Epic Fail Facebook.jpg

 

Desde a sua fundação em 2004 que o Facebook já teve vários episódios de falhas graves que afectam os seus utilizadores, quer na falta de privacidade quer no controlo que a plataforma faz da (muita) informação que dispõe, uns mais graves do que outros até ao mais recente caso com a Cambridge Analytica, que acedeu a informação de milhões de utilizadores e terá vendido essa informação para influenciar esses mesmos utilizadores e outros com perfis idênticos.

 

Dada a gravidade deste último caso o próprio CEO Mark Zuckerberg veio pedir desculpa pelo sucedido e partilhou alguma informação sobre a situação e medidas tomadas no seu perfil da "sua" rede social, o caso está também a ser investigado por vários organismos públicos quer nos E.U.A. quer na Europa.

 

Informação é poder e o Facebook com mais de dois mil milhões de utilizadores activos em todo o Mundo detém uma base de dados muito completa e apetecível por parte de várias organizações que pretendem beneficiar com esses dados, isto porque é possível a outras empresas acederem a informação através da Facebook Platform não só aos utilizadores de uma determinada aplicação ou jogo como às suas listas de contactos.

 

O Facebook ao longo dos anos melhorou as opções de privacidade e controlo de informação, mas está longe ainda de ser suficiente, várias opções críticas não são facilmente configuradas pelos utilizadores e muitos desconhecem mesmo as implicações que uma simples interacção com uma aplicação ou uma publicação trará, neste aspecto o Facebook tem ainda muito para melhorar, as opções de privacidade e controlo têm de ser fáceis de utilizar mesmo por utilizadores com menos conhecimentos técnicos e a partilha de informação só deverá ser feita com a explicita autorização do utilizador.

 

Para minimizar a devassa de informação privada ficam aqui alguns conselhos para mudar já no Facebook, acedendo ao App Settings é possível verificar que aplicações estão ligadas à conta de Facebook e que informação é partilhada sendo possível limitar ou eliminar a ligação, na opção "Apps Others Use" é possível controlar que informação é cedida a aplicações que algum dos nossos contactos utilize, idealmente e para bloquear a total partilha de informação com terceiros basta no link "Apps, Websites and Plugins" escolher a opção de desactivar a Facebook Platform, com o inconveniente de deixar de ser possível utilizar aplicações ligadas com a conta.

 

Este é apenas um dos problemas do Facebook, porque a quantidade de informação recolhida é enorme não só no website como também nas aplicações para smartphones/tablets onde as permissões dadas muitas vezes sem noção podem levar à recolha de dados privados, uma última dica, no menu Settings é possível fazer o download dos dados que o Facebook tem sobre o utilizador.

 

Existe a opção de desactivar a conta, ou em último caso a opção de apagar definitivamente e deixar o Facebook, este "problema" não é exclusivo do Facebook e como tal é importante para todos os utilizadores terem atenção aos serviços que utilizam e às opções que podem estar a pôr em causa a privacidade e segurança de cada um.

 

The Guardian - The Cambridge Analytica Files ]

 

Google Duo vai permitir enviar mensagens de voz e vídeo

 

O Google Duo vai muito em breve permitir o envio de mensagens de voz ou vídeo para os contactos que estejam indisponíveis no momento da chamada, assim enquanto o sinal de chamada vai tocando irá aparecer uma opção para enviar uma mensagem de voz ou vídeo, consoante o tipo de chamada que esteja a ser feita, se o contacto não responder a gravação começa automaticamente ao fim de 1 minuto, as mensagens podem ter uma duração máxima de 30 segundos.

 

Após escolher a opção pretendida ou ao fim de 1 minuto a chamar o utilizador terá um contador de 3 segundos até que a mensagem comece a ser gravada, podendo ser parada a qualquer momento ou assim que chegue ao meio minuto de duração, antes de a enviar é possível ver a gravação e se necessário fazer uma nova. 

 

Do lado de que recebe a chamada, a gravação aparecerá no contacto que a fez e ficará disponível por 24 horas depois de ter sido vista, podendo ser gravada localmente no smartphone ou tablet ou ainda guardada nalgum serviço de alojamento online como o Google Drive ou o Dropbox por exemplo.

 

Esta nova opção está já a ser disponibilizada para todos os utilizadores do Google Duo em sistemas Android e iOS e deverá chegar com um update da aplicação nos próximos dias.

 

Miss a call—but not the moment—with video messages on Google Duo ]

 

REN inaugura data center Tier III em Riba de Ave

REN Riba de Ave.jpg

 

A REN - Redes Energéticas Nacionais acaba de inaugurar um novo centro de dados (data center) na região norte de Portugal, mais concretamente em Riba de Ave, no concelho de Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga, que se vem juntar aos três espaços em funcionamento que a empresa já detém em Lisboa, Sacavém e Ermesinde.

 

Além da REN, este novo centro de dados será utilizado também pela EDP e pela NOS sendo gerido pela RENTELECOM, a operadora de redes de telecomunicações do grupo, o novo espaço terá uma área técnica útil de 1200 m2 onde cada uma das empresas terá o seu espaço dedicado onde poderá instalar servidores, discos para armazenamento de dados e equipamento de rede para interligar todos os equipamentos.

 

O investimento feito pela REN atingiu os 10M € e dada a importância de uma instalação como esta a REN submeteu-a ao Uptime Institute, entidade que certifica a resiliência e eficiência deste tipo de instalações, tendo este novo data center alcançado uma certificação de Tier III, sendo o segundo centro de dados a obter esta certificação depois do data center da Portugal Telecom na Covilhã.

 

REN inaugura DataCenter em Riba de Ave ]

 

Aumentar a segurança nos pedidos ao DNS com o DNSCrypt 2

DNSCrypt.png

 

Já tinha falado aqui no blog há uns anos no DNSCrypt, neste post de 2012, a especificação foi criada para dar mais segurança e privacidade aos pedidos feitos ao DNS (Domain Name System) que de outra forma poderiam ser interceptados ou pior, ser modificados sem que o utilizador final tivesse garantias da resposta obtida, com o DNSCrypt o tráfego é cifrado entre o servidor de DNS e o equipamento do utilizador.

 

A especificação foi inicialmente desenvolvida pela OpenDNS que a disponibilizou abertamente, contudo a empresa foi comprada pela Cisco em 2015 e desde então a evolução do DNSCrypt estava praticamente parada, felizmente houve programadores que pegaram no código disponibilizado e lançaram a versão 2 deste protocolo, disponível no GitHub em github.com/DNSCrypt.

 

A par desta actualização foi também disponibilizada a versão 2 do DNSCrypt Proxy, disponível em github.com/jedisct1/dnscrypt-proxy que permite utilizar o DNSCrypt v2 e ainda o DNS-over-HTTP/2, sendo que este segundo protocolo envia os pedidos DNS por HTTPS, o proxy está disponível para download e funciona em vários sistemas operativos incluindo BSD, Linux, Mac OS X e Windows.

 

A instalação e configuração são bastante simples e em poucos minutos qualquer utilizador mesmo sem grandes conhecimentos técnicos poderá incrementar significativamente a sua segurança ao utilizar a Internet, o proxy permite guardar logs dos pedidos de DNS, bloquear endereços ou IPs directamente havendo várias blacklists disponíveis, manter uma cache local para um acesso mais rápido aos endereços mais frequentemente utilizados, e fazer load balancing a uma lista de servidores DNS escolhidos pelo utilizador para obter os melhores resultados e não estar dependente apenas de um servidor.

 

No GitHub do DNSCrypt Proxy na tab "Wiki" está disponível toda a informação para instalar e configurar o proxy, mas resumindo o processo, depois de fazer o download e guardar os ficheiros é necessário editar um ficheiro de configuração que deverá ter o nome dnscrypt-proxy.toml, existe um ficheiro de exemplo bem comentado que explica cada opção, as principais são definir os servidores de DNS a serem utilizados, um endereço local, normalmente o 127.0.0.1:53, se e onde são guardados os vários logs, definir os parâmetros de cache e as listas de bloqueio.

 

Guardando as configurações no ficheiro mencionado basta correr a aplicação dnscrypt-proxy e está quase a funcionar, o último passo passa por alterar o servidor de DNS no computador definindo-o para 127.0.0.1 em vez do habitual automático ou do ISP, a partir daí todo o tráfego DNS passará a estar mais protegido entre o servidor e o utilizador, uma última nota, para ter o proxy a arrancar no boot do computador basta registar como um serviço, em Linux basta correr o comando ./dnscrypt-proxy -service install e em Windows executar o ficheiro server-install.bat.

 

Boa navegação agora em segurança pela Internet!

 

The Document Foundation apresenta o novo LibreOffice 6.0

 

A organização The Document Foundation acaba de anunciar uma nova versão da sua suite de office, o LibreOffice 6.0, projecto que começou em 2010 a partir do OpenOffice e que é uma das melhores alternativas gratuitas ao Microsoft Office.

 

O LibreOffice está disponível para vários sistemas operativos nomeadamente nas plataformas Windows, MacOS e Linux, esta nova versão aposta na melhoria da performance para uma suite mais rápida de utilizar mas também em várias novidades que passam a estar disponíveis e facilitam o trabalho nos diferentes módulos disponíveis.

 

Das novidades e melhorias incluídas nesta versão 6 do LibreOffice destaque para a possibilidade de criar e-books com a opção de exportar ePUB, a melhoria da janela de caracteres especiais mais prática de utilizar, novos ícones "Elementary" nos vários módulos (Writer, Calc, Impress, Draw), a possibilidade de assinar e ou cifrar documentos com chaves OpenPGP e a melhoria no menu de ajuda tornando-o mais user-friendly.

 

O download do LibreOffice 6 é gratuito e totalmente aconselhado para ter em qualquer computador, pode ser feito no site oficial em https://www.libreoffice.org/download/download/.

 

The Document Foundation announces LibreOffice 6.0: power, simplicity, security and interoperability from desktop to cloud ]

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

PGP

Key ID: 0xFB439BA2926B599E
Fingerprint: 8150 FBCE 8905 8016 F669 AA2C FB43 9BA2 926B 599E

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D